Topo
pesquisar

Exercícios sobre Era Vargas – Governo Provisório e Constitucional

Exercícios de História do Brasil

Por meio destes exercícios sobre a Era Vargas – Governo Provisório e Constitucional, você conseguirá testar aquilo que aprendeu a respeito do início da Era Vargas no Brasil. Publicado por: Cláudio Fernandes
questão 1

(FGV) O general Góis Monteiro, Ministro da Guerra de Getúlio Vargas, afirmava em uma carta dirigida ao presidente, em 1934: "O desenvolvimento das ideias sociais preponderantemente nacionalistas e o combate ao estadualismo (provincialismo, regionalismo, nativismo) exagerado não devem ser desprezados, assim como a organização racional e sindical do trabalho e da produção, o desenvolvimento das comunicações, a formação das reservas territoriais e milícias cívicas, etc., para conseguir-se a disciplina intelectual desejada e fazer desaparecer a luta de classes, pela unidade de vistas e a convergência de forças para a cooperação geral, a fim de alcançar o ideal comum à nacionalidade".

No trecho dessa carta estão expressos pontos centrais do regime instalado após a Revolução de 1930, entre eles:

a) organização de milícias estaduais, regulamentação das relações trabalhistas e educação.

b) estímulo à autonomia dos Estados, organização de milícias estaduais e nacionalismo.

c) organização de milícias estaduais, centralização política e educação.

d) centralização política, regulamentação das relações trabalhistas e nacionalismo.

e) estímulo à autonomia dos Estados, regulamentação das relações trabalhistas e educação.

questão 2

(UFG) Em março de 1934, Luís Carlos Prestes fundou uma frente popular, a Aliança Nacional Libertadora, que objetivava atrair setores democráticos e antifascistas da sociedade para um programa de reformas políticas e sociais. O governo de Vargas perseguiu Prestes devido à:

a) emergência de regimes autoritários na Europa influenciando a organização partidária no Brasil.

b) cooptação dos sindicatos pelo Estado, com suas sedes tornando-se locais da propaganda oficial.

c) proposta política de estabelecer um governo revolucionário no Brasil alinhado com a União Soviética.

d) organização da Ação Integralista Brasileira, que defendia um projeto de Estado autoritário para o país.

e) rivalidade entre integralistas e aliancistas, os quais mobilizaram o país, ampliando o clima de confrontos.

questão 3

O último presidente a governar o Brasil antes da ascensão de Getúlio Vargas ao poder representava os interesses das oligarquias regionais. Em 1930, esses interesses foram atacados por uma nova elite, ligada, sobretudo, a políticos do sul do país e ao exército, que ansiava:

a) pela formação de novas oligarquias regionais com poderes mais fortalecidos em relação ao poder central.

b) pela descentralização do poder regional. O que foi feito por meio das intervenções que Vargas ordenou durante o governo provisório.

c) pela restituição da ordem imperial, que levou à restauração da dinastia de Bragança.

d) pela divisão do país e construção de uma república positivista, que abarcou o Sul e o Sudeste.

e) pela instituição de um regime federalista aos moldes dos Estados Unidos da América.

questão 4

Getúlio Vargas teve que enfrentar duas frentes principais de organização política durante o governo provisório. Uma delas era inspirada no fascismo italiano e no nazismo alemão, inclusive nos símbolos e rituais de cumprimento que os orientavam. Trata-se do:

a) Integralismo

b) Fascismo Verde e Amarelo

c) Anarquismo

d) Comunismo

e) Fascismo à Brasileira.

respostas
Questão 1

Letra D

No trecho, há referências como “O desenvolvimento das ideias [...] nacionalistas e o combate ao estadualismo (provincialismo, regionalismo, nativismo) […], o desenvolvimento das comunicações, a formação das reservas territoriais e milícias cívicas […], a convergência de forças para a cooperação geral, a fim de alcançar o ideal comum à nacionalidade". Essas referências dão o tom da “coluna vertebral da política varguista”, que era feita das propostas de integração nacional, destituições dos regimes oligarcas regionais (estadualismo) e políticas voltadas ao controle do regime de trabalho.

Voltar a questão
Questão 2

Letra C

Assim como Plínio Salgado com a Ação Integralista Brasileira tinha um projeto de alterar profundamente a estrutura política do país inspirado no fascismo europeu, Luís Carlos Prestes fundou a Aliança Libertadora Nacional com o mesmo propósito, porém inspirado no comunismo revolucionário internacional, cujo poder central era a URSS. Ambas as tentativas foram dissuadidas pelo governo Vargas.

Voltar a questão
Questão 3

Letra B

A ascensão de Vargas ao poder marcou um processo de descentralização dos poderes regionais do Brasil, então controlados por oligarquias que mantinham sua influência tanto sobre a economia quanto sobre a política. Em Goiás, por exemplo, a família Caiado exercia tal influência e foi destituída de seu domínio pelo interventor Pedro Ludovico Teixeira.

Voltar a questão
Questão 4

Letra A

O integralismo emulava o modelo do fascismo europeu e lhe dava roupagens tipicamente relacionadas com a cultura brasileira. Seu idealizador foi Plínio Salgado e vários de seus integrantes eram intelectuais renomados. Os integralistas tentaram um golpe contra Getúlio, que foi prontamente dissuadido.

Voltar a questão
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Exercícios Brasil Escola