Topo
pesquisar

Exercícios sobre o Império Bizantino

Exercícios de História

Teste os seus conhecimentos: Faça exercícios sobre o Império Bizantino e veja a resolução comentada. Publicado por: Rainer Gonçalves Sousa
questão 1

(FUVEST-SP) Ao longo da Idade Média, a Europa Ocidental conviveu com duas civilizações, as quais muito se deve nos mais variados campos. Essas duas civilizações, bastante diferentes da Ocidental, contribuíram significativamente para o desenvolvimento experimentado pelo Ocidente, a partir do século XI, e para o advento da Modernidade no século XV.

a) Quais foram essas civilizações?

b) Indique suas principais características

Ver Resposta
questão 2

(PUC-Campinas) O Império Bizantino , ao longo de sua história, apresentou um governo que se caracterizou por:

a) proporcionar condições sociais que possibilitaram eliminar, desde suas origens, o problema da escravidão.

b) procurar eliminar suas origens romanas e por restringir o poder dos soberanos, que era bastante limitado.

c) apresentar um caráter despótico associado à grande influência religiosa, dando-lhe uma feição teocrática.

d) controlar, chegando a eliminar completamente, o poder da burocracia no Estado.

Ver Resposta
questão 3

(UFES) Segundo a crença dos cristãos de Bizâncio, os ícones (imagens pintadas ou esculpidas de Cristo, da Virgem e dos Santos) constituíam a “revelação da eternidade no tempo, a comprovação da própria encarnação, a lembrança de que Deus tinha se revelado ao homem e por isso era possível representá-lo de forma visível” (Franco Jr., H. e Andrade F., R. O. O império bizantino. São Paulo: Brasiliense, 1994, p.27).

Apesar da extrema difusão da adoração dos ícones no Império Bizantino, o imperador Leão III, em 726, condenou tal prática por idolatria, desencadeando assim a chamada “crise iconoclasta”. Dentre os fatores que motivaram a ação de Leão III, podemos citar o (a):

Marque a ÚNICA opção CORRETA:

a) intolerância da corte imperial para com os habitantes da Ásia menor, região onde o culto aos ícones servia de pretexto para a aglutinação de povos que pretendiam se emancipar.

b) necessidade de conter a proliferação de culto às imagens, num contexto de reaproximação da Sé de Roma com o imperador bizantino, uma vez que o papado se posicionava contra a instituição dos ícones e exigia a sua erradicação.

c) tentativa de mirar as bases políticas de apoio à sua irmã, Teodora, a qual, valendo-se do prestígio de que gozava junto aos altos dignitários da Igreja Bizantina, aspirava secretamente a sagrar-se imperatriz.

d) descontentamento imperial com o crescente prestígio e riqueza dos mosteiros (principais possuidores e fabricantes de ícones), que atraíam para o serviço monástico numerosos jovens, impedindo-os, com isso, de contribuírem para o Estado na qualidade de soldados, marinheiros e camponeses.

Ver Resposta
questão 4

(UECE) Na origem do chamado “Cisma do Oriente”, pode-se apontar corretamente:

a) as desavenças entre os membros da hierarquia católica e o Imperador bizantino diziam respeito à cobrança das indulgências e à corrupção dos bispos.

b) significou o aparecimento de inúmeras seitas “reformadas”, que se desligaram da Igreja romana.

c) no Império Bizantino, a Igreja era submetida ao Imperador e promovia um excessivo culto aos ídolos e às imagens.

d) em Bizâncio, ao contrário do cristianismo ocidental, as imagens e os ídolos dos santos não eram objetos de adoração e culto.

Ver Resposta
respostas
Questão 1

GABARITO A: O enunciado da questão faz referência aos povos pertencentes à civilização árabe e bizantina.

GABABRITO B: São povos que se desenvolveram de forma independente em relação ao mundo medieval experimentado no contexto da Europa Ocidental. Entre outros pontos, podemos ver que bizantinos e muçulmanos firmaram a sua civilização através de uma conjuntura econômica mais fortemente ligada ao comércio e desenvolveram concepções religiosas visivelmente autônomas em relação à tendência centralizadora observada no catolicismo romano.

Voltar a questão
Questão 2

Letra C. Ao longo de sua história, observamos que os limites entre o poder religioso e o poder político se confundiram no Império Bizantino. Além de determinar várias das decisões que influenciavam a economia e a sociedade, o imperador passou a ter poder de mando na escolha dos clérigos e em outras determinações da Igreja. Na medida em que os reis bizantinos assumiam condição de chefia na Igreja Cristã Oriental, tal fenômeno passou a ser conhecido como “cesaropapismo”.

Voltar a questão
Questão 3

Letra D. O desenvolvimento da adoração às imagens representava uma séria ameaça ao poder religioso historicamente exercido pelo imperador bizantino. Além de estabelecer outro foco de poder no cristianismo oriental, a fabricação e o uso de imagens se relacionavam a um sério problema, pois vários jovens trabalhadores deixavam de se envolver com outras atividades econômicas para se voltar à produção dos ícones.

Voltar a questão
Questão 4

Letra C. Ao longo do tempo, vemos que o cristianismo bizantino adotava práticas e concepções que se distanciavam claramente das noções lançadas pelos clérigos situados em Roma. No mundo cristão ocidental, observamos que o imperador tinha grande influência sob os assuntos religiosos e empregava os ícones como um meio de reafirmação da sua autoridade entre a população. Vale salientar que esse tipo de culto após uma árdua discussão teológica estabelece as diferenças religiosas entre a imagem e o ídolo.

Voltar a questão
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas
artigo
relacionado
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Exercícios Brasil Escola