Topo
pesquisar

Exercícios sobre os anabatistas e as revoltas do século XVI

Exercícios de História

Por meio destes exercícios sobre os anabatistas e as revoltas do século XVI, você pode avaliar o seu conhecimento sobre esse que é um dos principais temas da História Moderna. Publicado por: Cláudio Fernandes
questão 1

(VUNESP) Thomas Münzer liderou os anabatistas, camponeses que inspirados nas teses luteranas passaram a confiscar terras, inclusive da nobreza, rompendo com a estrutura feudal. A atitude de Lutero, propositor da Reforma, frente ao anabatismo foi de:

a) apoio, pois via nos seus seguidores os que mais se aproximavam de seu ideal religioso.

b) oposição, pois via neles uma ameaça à ordem que seus protetores da nobreza defendiam.

c) apoio, pois via neles um instrumento para a derrota definitiva dos defensores de Roma.

d) oposição, pois via na violência de suas ações a manifestação dos ensinamentos do papado.

e) apoio, pois ao confiscarem as terras destruíam as bases do Sacro Império, maior inimigo de Lutero.

questão 2

O principal ponto teológico discutido pelos anabatistas, como o próprio nome indica, era a questão do batismo. É correto dizer que os anabatistas defendiam:

a) a dispensabilidade do batismo.

b) o batismo apenas de adultos.

c) o batismo de crianças luteranas.

d) o batismo sem água.

e) o batismo com sangue.

questão 3

No ano de 1522, o anabatismo gerou uma revolta no seio da aristocracia, revolta essa que se alastrou anos depois pelo campesinato. Entre as camadas aristocráticas, os influenciados pelo anabatismo foram:

a) os barões

b) os marqueses

c) os duques

d) os cavaleiros

e) os condes

questão 4

(UNIFESP) No século XVI, nas palavras de um estudioso, “reformar a Igreja significava reformar o mundo, porque a Igreja era o mundo”. Tendo em vista essa afirmação, é correto afirmar que:

a) os principais reformadores, como Lutero, não se envolveram nos desdobramentos políticos e socioeconômicos de suas doutrinas.

b) o papado, por estar consciente dos desdobramentos da reforma, recusou-se a iniciá-la, até ser a isso obrigado por Calvino.

c) a burguesia, ao contrário da nobreza e dos príncipes, aderiu à reforma, para se apoderar das riquezas da Igreja.

d) os cristãos que aderiram à reforma estavam preocupados somente com os benefícios materiais que dela adviriam.

e) o aparecimento dos anabatistas e outros grupos radicais são a prova de que a reforma extrapolou o campo da religião.

respostas
Questão 1

Letra B

A radicalidade dos seguidores de Münzer, apesar de terem calcado a sua perspectiva religiosa a partir da reforma luterana, não despertou a simpatia de Lutero, que repudiou a ação dos revoltosos, considerando-a excessiva e demasiadamente violenta.

Voltar a questão
Questão 2

Letra B

Os anabatistas discordavam do batismo feito em idade infantil. Essa discordância ocorria sobretudo porque, para o anabatismo, o ato de batizar a criança poderia conduzi-la para caminhos religiosos à revelia de suas decisões e, nesse caminho, estaria a fonte de poder da Igreja Católica sobre os indivíduos.

Voltar a questão
Questão 3

Letra D

Os cavaleiros estavam na base da hierarquia social da aristocracia, ou seja, eram os que possuíam menores posses e riquezas. Em 1522, ocorreu a chamada Revolta dos Cavaleiros contra os demais nobres e o clero. Tal revolta teve inspiração anabatista e contou, a posteriori, com uma aliança com os camponeses.

Voltar a questão
Questão 4

Letra E

A Reforma Protestante, desde o seu início, teve repercussões políticas. Os próprios principados alemães, que deram apoio a Lutero, fizeram-no por vislumbrarem na cisão com a Igreja Católica uma maior penetrabilidade política na consciência dos indivíduos. O anabatismo radicalizou essa perspectiva.

Voltar a questão
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Exercícios Brasil Escola