Topo
pesquisar

Exercícios sobre a usura e preço justo

Exercícios de História

Por meio destes exercícios sobre usura e preço justo, você pode testar seus conhecimentos sobre uma das principais preocupações da Igreja Católica durante a Idade Média. Publicado por: Cláudio Fernandes
questão 1

(FGV) Num manuscrito do século XIII pode-se ler: "Os usurários são ladrões, pois vendem o tempo, que não Ihes pertence, e vender o bem alheio, contra a vontade do possuidor, é um roubo." Apud LE GOFF, J., A bolsa e a vida. A usura na Idade Média. São Paulo, Brasiliense, 1989, p.39.

A respeito da usura, é CORRETO afirmar:

a) A usura foi tolerada pelos teólogos medievais que viviam nas cidades e criticada pelos teólogos que se dedicavam à vida contemplativa nos mosteiros rurais.

b) A usura era considerada um pecado pelos teólogos cristãos porque o usurário podia se apropriar, como um ladrão, de qualquer bem de seu devedor.

c) A prática da usura passou a ser considerada virtuosa pelos teólogos católicos, convencidos de que as críticas desferidas por Lutero eram pertinentes.

d) A usura era considerada um roubo do tempo que pertencia a Deus e foi praticada exclusivamente por judeus durante a Idade Média.

e) A usura foi condenada pelos teólogos medievais num contexto em que se desenvolvia uma economia monetária gerada no interior do feudalismo.

questão 2

Para a Igreja Católica, a usura era considerada um pecado contra a justiça porque:

a) era uma forma de os judeus ficarem ricos, coisa que incomodava os membros do clero.

b) era uma cobrança de juros sobre o exercício de magistrados nos tribunais medievais.

c) era uma cobrança de juros sobre o tempo (algo que não produz nada concreto) de quem contraía um empréstimo.

d) visava ao lucro, que, em qualquer circunstância, é pecaminoso.

e) não gerava lucro direto para os membros do clero.

questão 3

(Fuvest-SP) "Se volveres a lembrança ao Gênese, entenderás que o homem retira da natureza o seu sustento e a sua felicidade. O usurário, ao contrário, nega a ambas, desprezando a natureza e o modo de vida que ela ensina, pois outros são no mundo seus ideais." (Dante Alighieri, Divina comédia, Inferno, canto XI, trad. Hernâni Donato.)

Essa passagem do poeta florentino exprime:
a) uma visão já moderna da natureza, que aqui aparece sobreposta aos interesses do homem.

b) um ponto de vista já ultrapassado no seu tempo, posto que a usura era uma prática comum e não mais proibida.

c) uma nostalgia pela Antiguidade greco-romana, onde a prática da usura era severamente coibida.

d) uma concepção dominante na Baixa Idade Média, de condenação à prática da usura por ser contrária ao espírito cristão.

e) uma perspectiva original, uma vez que combina a prática da usura com a felicidade humana.

questão 4

Leia o trecho e assinale a alternativa correta:

“(...) Quase sempre, os documentos do século XIII empregam o termo no plural: usurae. A usura é um monstro de várias cabeças, uma hidra (…) A usura é a arrecadação de juros por um emprestador nas operações que não devem dar lugar ao juro. Não é portanto a cobrança de qualquer juro. Usura e juro não são sinônimos, nem usura e lucro: a usura intervém onde não há produção ou transformação material de bens concretos.” (LE GOFF, Jacques. A bolsa e a vida: a usura na idade média. 4º ed., São Paulo: Editora brasiliense, 1989. p. 17-18.)

De acordo com o historiador francês Jacques Le Goff, a usura:

a) não podia ser condenável porque não previa lucro para o usurário.

b) não era identificada com toda forma de juros cobrados.

c) a usura era condenável por ser uma forma de juros cobrada sobre a produção de algo concreto.

d) era identificada com todo e qualquer tipo de juros.

e) a usura não era condenada pela Igreja, apenas pela autoridade civil.

respostas
Questão 1

Letra E

A condenação da usura, encarada como pecado contra a justiça, pela Igreja Católica ocorreu em um momento em que os primeiros centros comerciais da Idade Média começaram a se desenvolver, fato que demandou a também criação das primeiras instituições financeiras, capazes de oferecer crédito aos comerciantes.

Voltar a questão
Questão 2

Letra C

A usura era considerada um pecado contra a justiça pelo fato de o lucro obtido sobre o tempo de empréstimo de um dinheiro sem finalidade produtiva não ser justo para com aquele que dele necessitava. O usurário pecava ao levar vantagem sobre o tempo desse empréstimo.

Voltar a questão
Questão 3

Letra D

Dante Alighieri, autor da Divina Comédia, por ser um homem de alta cultura, estava completamente imerso nos preceitos dogmáticos cristãos de sua época. A condenação da prática da usura pela Igreja Católica foi por ele assimilada e defendida.

Voltar a questão
Questão 4

Letra B

A prática da usura era identificada apenas com o juro cobrado sobre aquilo que não gera produtos, isto é, que não é passível de gerar bens materiais para venda e consumo.

Voltar a questão
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas
artigo
relacionado
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Exercícios Brasil Escola