Exercícios sobre a Era Vargas

Exercícios de História do Brasil

Teste os seus conhecimentos a respeito de um dos períodos mais importantes e mais estudados da história brasileira: a Era Vargas, que se estendeu de 1930 a 1945. Publicado por: Daniel Neves Silva
questão 1

(Enem/2019) A depressão que afetou a economia mundial entre 1929 e 1934 se anunciou, ainda em 1928, por uma queda generalizada nos preços agrícolas internacionais. Mas o fator mais marcante foi a crise financeira detonada pela quebra da Bolsa de Nova Iorque.

Disponível em: http://cpdoc.fgv.br. Acesso em: 20 abr. 2015 (adaptado).

Perante o cenário econômico descrito, o Estado brasileiro assume, a partir de 1930, uma política de incentivo à:

a) industrialização interna para substituir as importações.

b) nacionalização de empresas estrangeiras atingidas pela crise.

c) venda de terras a preços acessíveis para os pequenos produtores.

d) entrada de imigrantes para trabalhar nas indústrias de base recém-criadas.

e) abertura de linhas de financiamento especial para empresas do setor terciário.

questão 2

O marco inicial das discussões parlamentares em torno do direito do voto feminino são os debates que antecederam a Constituição de 1824, que não trazia qualquer impedimento ao exercício dos direitos políticos por mulheres, mas, por outro lado, também não era explícita quanto à possibilidade desse exercício. Foi somente em 1932, dois anos antes de estabelecido o voto aos 18 anos, que as mulheres obtiveram o direito de votar, o que veio a concretizar-se no ano seguinte. Isso ocorreu a partir da aprovação do Código Eleitoral de 1932.

Disponível em: http://tse.jusbrasil.com.br. Acesso em: 14 maio 2018.

Um dos fatores que contribuíram para a efetivação da medida mencionada no texto foi a

a) superação da cultura patriarcal.

b) influência de igrejas protestantes.

c) pressão do governo revolucionário.

d) fragilidade das oligarquias regionais.

e) campanha de extensão da cidadania.

questão 3

(Enem/2017) Durante o Estado Novo, os encarregados da propaganda procuraram aperfeiçoar-se na arte da empolgação e envolvimento das “multidões” através das mensagens políticas. Nesse tipo de discurso, o significado das palavras importa pouco, pois, como declarou Goebbels, “não falamos para dizer alguma coisa, mas para obter determinado efeito”.

CAPELATO, M. H. Propaganda política e controle dos meios de comunicação. In: PANDOLFI, D. (Org.). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

O controle sobre os meios de comunicação foi uma marca do Estado Novo, sendo fundamental à propaganda política, na medida em que visava

a) conquistar o apoio popular na legitimação do novo governo.

b) ampliar o envolvimento das multidões nas decisões políticas.

c) aumentar a oferta de informações públicas para a sociedade civil.

d) estender a participação democrática dos meios de comunicação no Brasil.

e) alargar o entendimento da população sobre as intenções do novo governo.

questão 4

Em 1935, o governo brasileiro começou a negar vistos a judeus. Posteriormente, durante o Estado Novo, uma circular secreta proibiu a concessão de vistos a “pessoas de origem semita”, inclusive turistas e negociantes, o que causou uma queda de 75% da imigração judaica ao longo daquele ano. Entretanto, mesmo com as imposições da lei, muitos judeus continuaram entrando ilegalmente no país durante a guerra e as ameaças de deportação em massa nunca foram concretizadas, apesar da extradição de alguns indivíduos por sua militância política.

GRIMBERG, K. Nova língua interior: 500 anos de história dos judeus no Brasil. In: IBGE.

Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de Janeiro: IBGE, 2000 (adaptado).

Uma razão para a adoção da política de imigração mencionada no texto foi o(a)

a) receio do controle sionista sobre a economia nacional.

b) reserva de postos de trabalho para a mão de obra local.

c) oposição do clero católico à expansão de novas religiões.

d) apoio da diplomacia varguista às opiniões dos líderes árabes.

e) simpatia de membros da burocracia pelo projeto totalitário alemão.

questão 5

O historiador Thomas Skidmore afirma que a classe média brasileira na década de 1930 era o maior esteio do constitucionalismo liberal. Essa classe média tinha como grande exigência a reforma do sistema eleitoral brasileiro para que fossem garantidas eleições sem fraude.

A defesa do constitucionalismo e a exigência por eleições sem fraude foram motivações que deram início

a) ao golpe do Estado Novo.

b) à Intentona Comunista

c) à Intentona Integralista

d) à Revolução Constitucionalista de 1932

e) à Revolta Paulista de 1924

questão 6

Em 10 de novembro de 1937, Getúlio Vargas realizou um autogolpe conhecido como Golpe do Estado Novo. Ele cancelou a eleição presidencial marcada para 1938, suspendeu a Constituição de 1934 e substitui-a por uma nova Carta mais autoritária conhecida como Polaca, porque se inspirava na Constituição da Polônia.

O golpe do Estado Novo foi realizado com justificativa em um documento falso e apresentado à nação referente a um suposto golpe comunista em curso no Brasil. Estamos falando do:

a) Plano Condor

b) Plano Cohen

c) Plano de Metas

d) Plano do Estado Novo

e) Plano do Catete

questão 7

O Estado Novo foi o período da ditadura varguista em que toda oposição foi silenciada e perseguida por agentes do governo. Em maio de 1938, um grupo que apoiou o golpe do Estado Novo decidiu atacar o palácio presidencial. Esse ataque foi realizado pelos:

a) comunistas

b) liberais

c) tenentistas

d) integralistas

e) nenhuma das alternativas

questão 8

Logo após o golpe do Estado Novo, o governo, por ordem de Vargas, realizou uma cerimônia de queima das bandeiras estaduais. Esse ato simbolizava:

a) a disposição autoritária do Estado Novo para suprimir os interesses regionais.

b) a troca dos símbolos estaduais por novos que valorizassem o Estado Novo.

c) uma resposta do governo aos interesses dos estados pela criação de novas bandeiras.

d) o cumprimento do que determinava a Constituição de 1937 sobre o descarte de bandeiras defeituosas.

e) a valorização do federalismo.

questão 9

A propaganda política teve muita importância na construção da imagem de Getúlio Vargas na memória coletiva. Por meio da propaganda, desenvolveu-se as imagens de Vargas como governante carismático e atento às necessidades dos pobres. Dessa propaganda desenvolveu-se uma ideologia política, na década de 1940, muito importante na política brasileira durante as décadas de 1950 e 1960. Trata-se do:

a) populismo

b) trabalhismo

c) idealismo

d) reacionarismo

e) queremismo

questão 10

Em 1942, o Brasil declarou guerra ao Eixo e criou uma força militar enviada para a frente de batalha na Itália, a partir de 1944. A força brasileira que lutou durante a Segunda Guerra Mundial recebeu o nome de:

a) Força Expedicionária Brasileira

b) Força Especial Brasileira

c) Força Extraordinária Brasileira

d) Força Excepcional Brasileira

e) Força Especializada Brasileira

questão 11

A participação brasileira na Segunda Guerra Mundial e a luta em nome da democracia motivaram pedidos na sociedade brasileira pela democratização do país e pelo fim do Estado Novo. Um dos indícios da insatisfação com o governo de Getúlio Vargas no contexto da guerra deu-se por meio do:

a) Queremismo

b) Manifesto dos Mineiros

c) Manifesto dos Coronéis

d) Marcha dos Cem Mil

e) Marcha da Família com Deus pela Liberdade

questão 12

A pressão sobre Getúlio Vargas e a democratização do Brasil fizeram com que os militares dessem um ultimato exigindo sua saída do Palácio do Catete. Antes que isso acontecesse, houve um movimento espontâneo em apoio a Getúlio Vargas na presidência. Esse foi o queremismo, que surgiu em São Paulo, em 1945. Esse apoio dado a Vargas pelos queremistas significava:

a) que a máquina de propaganda do DIP teve efeito consistente na manipulação da população.

b) uma reação da burocracia do governo perante o desmoronamento do regime e sua perda de privilégios.

c) uma reação daqueles que defendiam a manutenção do autoritarismo no Brasil.

d) uma reação dos trabalhadores que temiam que o fim do Estado Novo fosse o fim da política que lhes garantia alguns direitos.

e) o uso indiscriminado de verba pública como forma de garantir apoio popular.

respostas
Questão 1

LETRA A

Um dos efeitos da Crise de 1929 no Brasil foi a redução da exportação de café, o artigo mais importante de nossa economia. Isso impactou diretamente na economia brasileira porque limitou a entrada de dividendos e reduziu a capacidade de importações que nosso país poderia fazer. Assim, era necessário diversificar a economia nacional de forma a produzir aqui o que não mais poderia ser comprado do exterior. Além disso, a industrialização fazia parte da política econômica de Vargas, defensor da intervenção estatal na economia, uma vez que ele tinha uma proposta econômica nacionalista. O resultado disso foi que, entre 1933 e 1939, a indústria brasileira cresceu 11,2%.

Voltar a questão
Questão 2

LETRA E

A reforma no sistema eleitoral brasileiro foi uma das respostas de Getúlio Vargas para a pressão que ele sofria pela constitucionalização do país e pela realização de eleição presidencial. Essa pressão vinha sobretudo de São Paulo, o estado que mais perdeu poder político com a ascensão de Vargas à presidência. Além disso, havia uma grande campanha para que a cidadania brasileira, isto é, o direito ao voto, se estendesse às mulheres também. A feminista Bertha Luz foi um dos grandes nomes no Brasil a lutar pelo direito do voto para as mulheres.

Voltar a questão
Questão 3

LETRA A

A propaganda política no Estado Novo era conduzida pelo Departamento de Imprensa e Propaganda, o DIP. Era função desse órgão realizar a propaganda oficial com o intuito de exaltar os feitos do governo varguista, além de ser também o responsável pela censura e pelo silenciamento dos opositores. A propaganda oficial mais a censura buscavam garantir o apoio popular ao governo.

Voltar a questão
Questão 4

LETRA E

A postura antissemita do governo brasileiro demonstrava uma simpatia aberta que determinados membros da burocracia do país tinham com o nazifascismo. Um exemplo é Filinto Müller, chefe da polícia política de Getúlio Vargas e defensor da aproximação do Brasil com as potências do Eixo. No exército também havia membros que defendiam essa aproximação do Brasil com o Eixo, destaque para Eurico Gaspar Dutra e Góis Monteiro.

Voltar a questão
Questão 5

LETRA D

A defesa do constitucionalismo liberal e a exigência pela convocação de eleição presidencial foram duas das grandes exigências feitas por São Paulo durante o começo da década de 1930. Era o meio encontrado pelas elites paulistas para limitar o poder de Vargas, além de ser uma tentativa de que elas pudessem alcançar o poder por meio da eleição. Essa insatisfação resultou em um levante armado: a Revolução Constitucionalista de 1932.

Voltar a questão
Questão 6

LETRA B

O Plano Cohen foi um documento falso apresentado por Getúlio Vargas à nação. Esse documento falava sobre um suposto golpe comunista que estaria em curso no país em setembro de 1937. Esse documento foi produzido por Olímpio Mourão, membro da Ação Integralista Brasileira, grupo de orientação fascista. Getúlio Vargas utilizou o Plano Cohen como justificativa para dar um autogolpe e implantar uma ditadura no Brasil.

Voltar a questão
Questão 7

LETRA D

Em 11 de maio de 1938, os integralistas iniciaram um levante armado no Rio de Janeiro e promoveram um ataque contra o Palácio do Catete. Esse levante foi uma demonstração de insatisfação dos integralistas com sua falta de participação no Estado Novo. Os integralistas e seu líder, Plínio Salgado, tinham expectativas de tornarem-se a base política do Estado Novo, mas isso não aconteceu, e eles decidiram voltar-se contra Vargas. Por conta do levante, Vargas autorizou a repressão a eles em todo o Brasil.

Voltar a questão
Questão 8

LETRA A

A queima das bandeiras estaduais foi uma cerimônia que aconteceu no final de novembro de 1937. Foi uma demonstração de Getúlio Vargas, com o recém-instalado Estado Novo, de que ele não aprovaria que os interesses regionais estivessem acima dos interesses nacionais, leia-se, dos seus próprios interesses. Foi uma demonstração da sua intenção pela centralização do poder e pelo fim do federalismo.

Voltar a questão
Questão 9

LETRA B

O trabalhismo foi uma ideologia estabelecida na década de 1940, durante o Estado Novo. Foi resultado da percepção política de Getúlio Vargas de que ele perdia apoio entre os militares e as elites do Brasil. Com isso ele passou a ancorar o seu poder entre as massas de trabalhadores. Foi por meio do trabalhismo que Vargas estabeleceu sua imagem de político carismático e popular. O trabalhismo acabou tornando-se a base ideológica do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Voltar a questão
Questão 10

LETRA A

A Força Expedicionária Brasileira foi a força militar que o Brasil enviou para a Segunda Guerra Mundial. Foi criada em 9 de agosto de 1943, por meio da Portaria Ministerial nº 4744. Ao todo, a FEB foi composta por 30 mil soldados enviados para a frente de batalha no território italiano. Ao final do conflito, 454 soldados brasileiros morreram.

Voltar a questão
Questão 11

LETRA B

O Manifesto dos Mineiros foi um documento, divulgado em outubro de 1943, elaborado por membros da elite liberal do estado de Minas Gerais. Esse documento foi assinado por 92 pessoas que defendiam o fim do Estado Novo e a democratização do Brasil. Ele foi uma das primeiras demonstrações de oposição aberta contra o Estado Novo.

Voltar a questão
Questão 12

LETRA D

O queremismo foi um movimento político que surgiu de maneira espontânea em 1945. Surgiu em apoio a Getúlio Vargas e defendia sua manutenção como presidente do Brasil. A primeira manifestação queremista aconteceu em maio de 1945, quando trabalhadores atacaram manifestantes que protestavam contra o ditador. Esse movimento foi uma resposta das classes populares, que temiam a perda de seus direitos trabalhistas com a derrubada de Vargas.

Voltar a questão
Logo Artigo
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas
Assista às nossas videoaulas
Artigo
Relacionado