Exercícios sobre a República Velha

Exercícios de História

Teste os seus conhecimentos a respeito da República Velha ou Primeira República, o período em que foi estabelecida a república no Brasil. Publicado por: Daniel Neves Silva
questão 1

(Enem/2019) A Revolta da Vacina (1904) mostrou claramente o aspecto defensivo, desorganizado, fragmentado da ação popular. Não se negava o Estado, não se reivindicava participação nas decisões políticas; defendiam-se valores e direitos considerados acima da intervenção do Estado.

CARVALHO, J. M. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Cia. das Letras, 1987 (adaptado).

A mobilização analisada representou um alerta, na medida em que a ação popular questionava:

a) a alta de preços.

b) a política clientelista.

c) as reformas urbanas.

d) o arbítrio governamental.

e) as práticas eleitorais.

questão 2

(Enem/2017) Rodrigo havia sido indicado pela oposição para fiscal duma das mesas eleitorais. Pôs o revólver na cintura, uma caixa de balas no bolso e encaminhou-se para seu posto. A chamada dos eleitores começou às sete da manhã. Plantados junto da porta, os capangas do Trindade ofereciam cédulas com o nome dos candidatos oficiais a todos os eleitores que entravam. Estes, em sua quase totalidade, tomavam docilmente dos papeluchos e depositavam-nos na urna, depois de assinar a autêntica. Os que se recusavam a isso tinham seus nomes acintosamente anotados.

VERÍSSIMO, E. O tempo e o vento. São Paulo: Globo, 2003 (adaptado).

Erico Veríssimo tematiza em obra ficcional o seguinte aspecto característico da vida política durante a Primeira República:

a) Identificação forçada de homens analfabetos.

b) Monitoramento legal dos pleitos legislativos.

c) Repressão explícita ao exercício de direito.

d) Propaganda direcionada à população do campo.

e) Cerceamento policial dos operários sindicalizados.

questão 3

(Enem) O coronelismo era fruto de alteração na relação de forças entre os proprietários rurais e o governo, e significava o fortalecimento do poder do Estado antes que o predomínio do coronel. Nessa concepção, o coronelismo é, então, um sistema político nacional, com base em barganhas entre o governo e os coronéis. O coronel tem o controle dos cargos públicos, desde o delegado de policia até a professora primária. O coronel hipoteca seu apoio ao governo, sobretudo na forma de voto.

CARVALHO, J. M. Pontos e bordados: escritos de história política. Belo Horizonte. Editora UFMG, 1998 (adaptado).

No contexto da Primeira República no Brasil, as relações políticas descritas baseavam-se na

a) coação das milícias locais.

b) estagnação da dinâmica urbana.

c) valorização do proselitismo partidário.

d) disseminação de práticas clientelistas.

e) centralização de decisões administrativas.

questão 4

(Enem) TEXTO I

Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a história, resistiu até o esgotamento completo. Vencido palmo a palmo, na precisão integral do termo, caiu no dia 5, ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados.

CUNHA, E. Os sertões. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1987.

TEXTO II

Na trincheira, no centro do reduto, permaneciam quatro fanáticos sobreviventes do extermínio. Era um velho, coxo por ferimento e usando uniforme da Guarda Católica, um rapaz de 16 a 18 anos, um preto alto e magro, e um caboclo. Ao serem intimados para deporem as armas, investiram com enorme fúria. Assim estava terminada e de maneira tão trágica a sanguinosa guerra, que o banditismo e o fanatismo traziam acesa por longos meses, naquele recanto do território nacional.

SOARES, H. M. A Guerra de Canudos. Rio de Janeiro: Altina, 1902.

Os relatos do último ato da Guerra de Canudos fazem uso de representações que se perpetuariam na memória construída sobre o conflito. Nesse sentido, cada autor caracterizou a atitude dos sertanejos, respectivamente, como fruto da

a) manipulação e incompetência.

b) ignorância e solidariedade.

c) hesitação e obstinação.

d) esperança e valentia.

e) bravura e loucura.

questão 5

A Primeira República ficou muito marcada por diferentes movimentos sociais e pequenos conflitos que eclodiram, manifestando a insatisfação popular e os diferentes interesses em disputa em nossa sociedade. Entre os movimentos listados a seguir, qual não se passou durante a Primeira República:

a) Revolução Federalista

b) Revolta da Armada

c) Revolução Praieira

d) Revolta da Chibata

e) Revolta do Forte de Copacabana

questão 6

Nas palavras das historiadoras Lília Schwarcz e Heloísa Starling, havia determinada política, iniciada por Campos Sales no Brasil, que “reconhecia a plena autonomia das elites regionais, fazia vista grossa aos esbulhos cometidos por essas elites para eleger as bancadas e o governo estadual, acenava com benesses do Tesouro e apresentava a fatura: as unidades da federação deveriam agir coesas e em consonância com o poder central”.

SCHWARCZ, Lilia Moritz e STARLING, Heloísa Murgel. Brasil: Uma Biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015, p. 321.

As historiadoras mencionavam a que prática da nossa política:

a) Política do café com leite

b) Política dos governadores

c) Política das minorias

d) Política de contenção

e) Política de representação

questão 7

O estopim que deu início à Revolta Armada, que levou ao fim da Primeira República, foi:

a) a derrota do movimento tenentista em São Paulo

b) a derrota de Getúlio Vargas

c) o assassinato de João Pessoa

d) o retorno da Coluna Prestes

e) a crise no café brasileiro

questão 8

A violência contra os pobres, o racismo e os castigos físicos foram fatores que deram início à:

a) Revolta da Chibata

b) Guerra do Contestado

c) Guerra de Canudos

d) Revolta Paulista de 1924

e) Coluna Prestes

questão 9

A Coluna Prestes foi um levante tenentista que se tornou uma das maiores revoltas da Primeira República. O grande adversário da Coluna Prestes foi:

a) Hermes da Fonseca

b) Rodrigues Alves

c) Campos Sales

d) Artur Bernardes

e) Júlio Prestes

questão 10

A historiadora Maria Efigênia Lage de Resende aponta que a Constituição brasileira de 1891 inspirou-se no modelo norte-americano e implantou o federalismo no Brasil em substituição ao centralismo típico do período monárquico.

RESENDE, Maria Efigênia Lage. O processo político na Primeira República. In.: FERREIRA, Jorge e DELGADO, Lucília de Almeida Neves (orgs.). O tempo do liberalismo oligárquico: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018, p.83.

Referente aos direitos eleitorais, o que a Constituição de 1891 dizia:

a) homens e mulheres poderiam votar.

b) todos os cidadãos, incluindo analfabetos, poderiam votar.

c) somente os homens com critério censitário poderiam votar.

d) somente homens com mais de 21 anos poderiam votar.

e) a Constituição não discorria sobre a questão do voto.

questão 11

A conhecida política do café com leite era uma política de revezamento do candidato à presidência de acordo com as oligarquias de dois estados brasileiros. Esses estados eram:

a) Rio de Janeiro e São Paulo

b) Minas Gerais e São Paulo

c) Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro

d) Minas Gerais e Rio Grande do Sul

e) Bahia e Pernambuco

questão 12

Por ocasião da Revolução Federalista, a conquista da cidade de Desterro por parte das tropas leais ao governo do Rio de Janeiro fez com que a cidade fosse renomeada, passando a chamar-se:

a) Porto Alegre

b) Curitiba

c) Florianópolis

d) Petrópolis

e) Santos

respostas
Questão 1

Letra D

A Revolta da Vacina foi um dos principais movimentos populares da Primeira República e motivada pela insatisfação da população com as medidas autoritárias que foram tomadas pela gestão de Pereira Passos. Durante a gestão desse prefeito, foi realizada uma reforma urbana e uma campanha de vacinação que ficaram marcadas pelo autoritarismo do poder público.

Voltar a questão
Questão 2

Letra C

A questão faz menção ao voto do cabresto e às fraudes eleitorais, duas práticas comuns do período da Primeira República. O voto de cabresto consistia na intimidação dos eleitores para que eles votassem nos candidatos indicados pelas autoridades locais.

Voltar a questão
Questão 3

Letra D

O clientelismo é um conceito que faz referência às práticas de troca de favores que caracterizaram as relações políticas no Brasil da Primeira República. Sendo assim, os coronéis, autoridades regionalizadas, usavam de todo o seu poderio para tomar iniciativas que fossem favoráveis ao Governo Federal. Em troca, recebiam carta livre para agir em seus estados e apoio do governo.

Voltar a questão
Questão 4

Letra E

Os dois textos fazem menção à Guerra de Canudos e os dois trazem visões opostas em relação a esse acontecimento. O primeiro texto valoriza e exalta a bravura da população que resistiu, em Canudos, ao poderio do Exército. O segundo texto traz uma visão negativa dos sertanejos, taxando-os de bandidos e comparando sua resistência com loucura.

Voltar a questão
Questão 5

Letra C

Entre as alternativas, a Revolução Praieira é a única que não aconteceu durante a Primeira República. Esse acontecimento deu-se entre 1848 e 1850, portanto, no Segundo Reinado, e foi motivado pelas disputas entre as oligarquias de Pernambuco pelo poder da província.

Voltar a questão
Questão 6

Letra B

A política dos governadores ou política dos estados foi estabelecida durante a presidência de Campos Sales (1898-1902) e foi uma prática política comum durante toda a Primeira República. Nela, uma aliança entre Executivo e Legislativo acontecia, e as pautas do Governo Federal eram defendidas, com as oligarquias locais ganhando respaldo do governo em seus estados.

Voltar a questão
Questão 7

Letra C

O assassinato de João Pessoa, vice da chapa de Getúlio Vargas como candidato à presidência, em 1930, foi o estopim da Revolução de 1930, movimento armado que deu fim à Primeira República. O assassinato de João Pessoa aconteceu em uma confeitaria, no Rio de Janeiro, e não teve relação com a eleição travada naquele ano.

Voltar a questão
Questão 8

Letra A

A Revolta da Chibata aconteceu em novembro de 1910, sendo realizada por marinheiros que estavam em embarcações da Marinha na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. A revolta foi motivada pela violência praticada contra os pobres na cidade durante o período, mas também pelo racismo e pelos castigos físicos que os marinheiros negros sofriam na corporação.

Voltar a questão
Questão 9

Letra D

A Coluna Prestes foi um movimento que surgiu entre os tenentistas e uniu os rebelados no Rio Grande do Sul e em São Paulo, com a reunião de todos no Paraná. A Coluna Prestes foi liderada por Miguel Costa e Luís Carlos Prestes, atuou entre 1925 e 1927, e posicionava-se contra o governo de Artur Bernardes.

Voltar a questão
Questão 10

Letra D

A Constituição de 1891 dizia que homens com mais de 21 anos poderiam votar. Entretanto, para isso, eles não poderiam ser mendigos, militares de baixa patente, religiosos com voto de obediência ou analfabetos. Não havia critério de cor de pele nem de renda para o voto. Mulheres não poderiam votar.

Voltar a questão
Questão 11

Letra B

A política do café com leite foi praticada em determinados momentos da Primeira República. Essa prática juntava São Paulo e Minas Gerais, as duas maiores oligarquias do Brasil, e ambos estados asseguravam o revezamento do presidente entre políticos indicados por cada um.

Voltar a questão
Questão 12

Letra C

A cidade de Desterro foi recapturada pelas tropas do governo em 1894. Em comemoração a esse acontecimento e à derrota da Revolução Federalista, o prefeito da cidade, Hercílio Luz, decidiu nomeá-la Florianópolis, em homenagem ao presidente Floriano Peixoto.

Voltar a questão
Logo Artigo
Leia o artigo relacionado a este exercício e esclareça suas dúvidas
Assista às nossas videoaulas
Artigo
Relacionado