Whatsapp

Enem: lista de exercícios sobre leitura e interpretação de textos

Exercícios de Gramática

Com esta lista de exercícios, você se prepara para a prova de Linguagens do Enem, com foco nas questões que envolvem interpretação de textos. Publicado por: Maria Beatriz
questão 1

(Enem Digital 2020)

Qual a influência da comunicação nos fluxos migratórios?

Denise Cogo, doutora em comunicação, discute a relação entre as tecnologias digitais e as migrações no mundo.

Para a especialista, grande parte das representações e das experiências que conhecemos dos imigrantes chega pela mídia. “A mídia é mediadora das relações”, explica.

O imigrante não é só um sujeito econômico, mas, explica Cogo, um sujeito sociocultural. Portanto, a comunicação integra a trajetória das migrações dentro de um processo histórico. “Desde o planejamento e o estudo das políticas migratórias para o país de destino até o contato com amigos e familiares, o encontro dos fluxos migratórios com as tecnologias digitais traz novas perspectivas para os sujeitos. Também se abre a possibilidade para que, com um celular na mão, os próprios imigrantes possam narrar suas histórias, construindo novos caminhos”, analisa.

Disponível em: http://operamundi.uol.com.br. Acesso em: 6 dez. 2017 (adaptado).

Ao trazer as novas perspectivas acionadas pelos sujeitos na escrita de suas histórias, o texto apresenta uma visão positiva sobre a presença da(s):

a) economia na formação cultural dos sujeitos.

b) manifestações isoladas nos processos de migração.

c) narrações oficiais sobre os novos fluxos migratórios.

d) abordagens midiáticas no tratamento das informações.

e) tecnologias digitais nas formas de construção da realidade.

questão 2

Reconhecimento facial: o que se pode esperar dele?

A tecnologia não é nova, mas está cada vez mais avançada. O conceito foi desenvolvido na década de 1960 por Woodrow "Woody" Bledsoe para a Panoramic Research e até hoje os preceitos são os mesmos: boa parte dos sistemas ainda aposta em imagens 2D, já que a maioria dos bancos de dados de referência tem apenas esse tipo de foto.

Ela é, portanto, uma forma de autenticação biométrica que permite confirmar uma identidade. O processo de identificação usa as medidas do formato e da estrutura facial, que são únicas para cada indivíduo. Aí começam os problemas: embora seja bastante interessante, ela pode ser controversa.

É essa a tecnologia usada no Facebook para sugerir marcações em fotos — e quem tem irmãos sabe que o sistema pode ser bastante falho na tarefa de diferenciar pessoas com características semelhantes. Isso porque informações-chave das imagens (como o tamanho e o formato de nariz, boca e olhos, bem como a distância entre diferentes pontos da face) são comparadas com um banco de dados. Há até quem tenha processado a rede social por ter sido identificado em imagens sem ser informado.

Disponível em: <https://olhardigital.com.br/noticia/reconhecimento-facial-o-que-se-pode- esperar-dele/84009>. (Adaptado)

Entre as possibilidades promovidas pelo desenvolvimento de novas tecnologias de autenticação biométrica, o texto destaca:

a) a auditoria das ações públicas por meio da fiscalização remota.

b) a distinção de postagens vinculadas às redes sociais, como o Facebook.

c) a obtenção de informações por meio de traços faciais singulares.

d) a disponibilidade de recursos de publicidade com base em expressões faciais.

e) o armazenamento de dados entre órgãos governamentais e privados.

questão 3

(Enem 2020) 

Hino à Bandeira

Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul,

A verdura sem par destas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.

Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever,

E o Brasil por seus filhos amado,
Poderoso e feliz há de ser!

Sobre a imensa Nação Brasileira,
Nos momentos de festa ou de dor,

Paira sempre sagrada bandeira
Pavilhão da justiça e do amor!

BILAC, O.; BRAGA, F. Disponível em: www2.planalto.gov.br.
Acesso em: 10 dez. 2017 (fragmento).

 

No Hino à Bandeira, a descrição é um recurso utilizado para exaltar o símbolo nacional na medida em que:

a) remete a um momento futuro.

b) promove a união dos cidadãos.

c) valoriza os seus elementos.

d) emprega termos religiosos.

e) recorre à sua história.

questão 4
Charge sobre a juventude digital em enunciado de questão modelo Enem.
Arte de “João Montanaro”. Disponível em: <https://relatividade.wordpress.com/2010/11/06/olha-mae-um-twitter/>. Acesso em 23 jul. 2021.

O humor na charge é provocado porque a personagem comete um deslize referente a um dos fatores pragmáticos do texto, sendo ele:

a) a intencionalidade, considerando que o deslize cometido pela personagem foi proposital.

b) a informatividade, pois a personagem desconhece a figura de um pássaro, assim como desconhece o símbolo da rede social mencionada.

c) a situacionalidade, já que a situação comunicativa permite facilmente que um pássaro seja confundido com o símbolo de uma conhecida rede social.

d) a informatividade, uma vez que o humor decorre do fato de que ele não conhece o pássaro e faz referência ao símbolo do Twitter devido ao seu desconhecimento de mundo e conhecimento de mídias sociais.

e) a intertextualidade, visto que a personagem propositalmente menciona a rede social Twitter com a única intenção de que o diálogo entre os textos desperte o humor na narrativa.

questão 5

(Enem 2018) 

ABL lança novo concurso cultural:
“Conte o conto sem aumentar um ponto”

Em razão da grande repercussão do concurso de Microcontos do Twitter da ABL, o Abletras, a Academia Brasileira de Letras, lançou, no dia do seu aniversário de 113 anos, um novo concurso cultural intitulado “Conte o conto sem aumentar um ponto”, baseado na obra A cartomante, de Machado de Assis. “Conte o conto sem aumentar um ponto” tem como objetivo dar um final distinto do original ao conto A cartomante de Machado de Assis, utilizando-se o mesmo número de caracteres – ou inferior – que Machado concluiu seu trabalho, ou seja, 1 778 caracteres.

Vale ressaltar que, para participar do concurso, o concorrente deverá ser seguidor do Twitter da ABL, o Abletras.

Disponível em: www.academia.org.br. Acessado em: 18 out. 2015 (adaptado).

O Twitter é reconhecido por promover o compartilhamento de textos. Nessa notícia, essa rede social foi utilizada como veículo/suporte para um concurso literário por causa do(a):

a) limite predeterminado de extensão do texto.

b) interesse pela participação de jovens.

c) atualidade do enredo proposto.

d) fidelidade a fatos cotidianos.

e) dinâmica da sequência narrativa.

questão 6

O que é música?

A pergunta “o que é música” tem sido alvo de discussão há décadas. Alguns autores defendem que música é a combinação de sons e silêncios de uma maneira organizada. Vamos explicar: um ruído de rádio emite sons, mas não de uma forma organizada, por isso não é classificado como música. Essa definição parece simples e completa, mas definir música não é algo tão óbvio assim. Podemos classificar um alarme de carro como música? Ele emite sons e silêncios de uma maneira organizada, mas garanto que a maioria das pessoas não chamaria esse som de música.

Disponível em: <https://www.descomplicandoamusica.com/o-que-e-musica/>. Acesso em 23 jul. 2021.

O fragmento define o que é a música de forma simplificada. Como estratégia de construção do texto, o autor faz uso recorrente de:

a) enumerações para sustentar o ponto de vista apresentado.

b) exemplificações para ilustrar a distinção entre a música e outros sons cotidianos.

c) generalizações para sintetizar as diversas percepções sobre o que é a música.

d) adjetivações para descrever os tipos de música.

e) sinonímias para retomar as características das obras musicais.

questão 7

(Enem 2020) 

Chiquito tinha quase trinta quando conheceu Mariana num baile de casamento na Forquilha, onde moravam uns parentes dele. Por lá foi ficando, remanchando. Fez mal à moça, como costumavam dizer, tiveram de casar às pressas. Morou uns tempos com o sogro, descombinaram. Foi só conta de colher o milho e vender. Mudou pra casa do velho Chico Lourenço [seu pai]. Fumaça própria só viu subir um par de anos depois, quando o pai repartiu as terras. De tão parecidos, pai e filho nunca combinaram direito. Cada qual mais topetudo, muitas vezes dona Aparecida ouvia o marido reclamar da natureza forte do filho. Ela escutava com paciência e respondia dum jeito sempre igual:

— “Quem herda, não rouba”.

Vinha um brilho nos olhos, o velho se acalmava.

ROMANO, O. Casos de Minas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

Os ditados populares são frases de sabedoria criadas pelo povo, utilizadas em várias situações da vida. Nesse texto, a personagem emprega um ditado popular com a intenção de:

a) criticar a natureza forte do filho.

b) justificar o gênio difícil de Chiquito.

c) legitimar o direito do filho à herança.

d) conter o ânimo violento de Chico Lourenço.

e) condenar a agressividade do marido contra o filho.

questão 8

A namorada

Havia um muro alto entre nossas casas. Difícil de mandar recado para ela. Não havia e-mail. O pai era uma onça. A gente amarrava o bilhete numa pedra presa por um cordão. E pinchava a pedra no quintal da casa dela. Se a namorada respondesse pela mesma pedra era uma glória! Mas por vezes o bilhete enganchava nos galhos da goiabeira. E então era agonia. No tempo do onça era assim.

BARROS, Manoel de. Texto extraído do livro “Tratado geral das grandezas do ínfimo”, Editora Record – Rio de Janeiro, 2001, pág. 17.

Nesse texto, a mobilização do uso padrão das formas verbais:

a) está a serviço do projeto literário, auxiliando na distinção das ações de um e de outro personagem.

b) auxilia na caracterização do tempo, do espaço e dos personagens da narrativa.

c) alterna os tempos da narrativa, fazendo progredir as ideias do texto.

d) ajuda a localizar o enredo em um tempo ora mais, ora menos distante do presente. 

e) traduz a reminiscência de fatos passados que ficaram registrados na vida íntima do narrador.

questão 9

(Enem 2018) 

Tirinha Calvin em enunciado de questão do Enem 2018

Tirinha Calvin em enunciado de questão do Enem 2018

Disponível em: http://arquivo-x.webnode.com. Acesso em: 5 dez. 2012.

Em sua conversa com o pai, Calvin busca persuadi-lo, recorrendo à estratégia argumentativa de:

a) mostrar que um bom trabalho como pai implica a valorização por parte do filho.

b) apelar para a necessidade que o pai demonstra de ser bem-visto pela família.

c) explorar a preocupação do pai com a própria imagem e popularidade.

d) atribuir seu ponto de vista a terceiros para respaldar suas intenções.

e) gerar um conflito entre a solicitação da mãe e os interesses do pai.

questão 10

Você recebe uma mensagem no celular, lê integralmente ou parte dela e a repassa, sem ter sequer o cuidado de checar se é verdadeira? Então, fique atento, porque você pode estar ajudando a propagar uma fake news. A expressão, em inglês, significa notícia falsa e já tomou conta do vocabulário brasileiro. Aliás, as “fake news” ultrapassaram as fronteiras do uso de termos estrangeiros e passaram a fazer parte, também, da rotina do brasileiro, seja na propagação ou na reparação delas. A justificativa do professor José Eduardo de Santana Macêdo, doutor em Direito Político e Econômico e mestre em Direito Constitucional, é de que a sociedade moderna goza de um privilégio totalmente inexistente no passado, o do acesso ilimitado à informação. Mas, claramente, não tem sabido lidar com esse privilégio. “No que antes se dependia do jornal impresso ou de informações divulgadas pelas ondas do rádio e da televisão, esses meios praticamente sucumbiram como fonte de notícias e estão se reinventado para não se tornarem obsoletos”, ressalta Eduardo Macêdo.

Disponível em: <http://jlpolitica.com.br/reportagem-especial/fake-news-viraram-estrategia-politica>.

O texto expõe a preocupação de um professor ligado à área do Direito sobre o compartilhamento de conteúdos falsos impulsionado pelo(a):

a) acesso facilitado e irrefletido às informações no ambiente digital.

b) displicência natural das pessoas que navegam pela internet.

c) obsolescência dos meios de veiculação de notícias como rádio e televisão.

d) impossibilidade de identificação da origem dos textos.

e) disseminação de ações criminosas na internet.

questão 11

(Enem 2019) 

A ciência do Homem-Aranha

Muitos dos superpoderes do querido Homem-Aranha de fato se assemelham às habilidades biológicas das aranhas e são objeto de estudo para produção de novos materiais.

O “sentido-aranha” adquirido por Peter Parker funciona quase como um sexto sentido, uma espécie de habilidade premonitória e, por isso, soa como um mero elemento ficcional. No entanto, as aranhas realmente têm um sentido mais aguçado. Na verdade, elas têm um dos sistemas sensoriais mais impressionantes da natureza.

Os pelos sensoriais das aranhas, que estão espalhados por todo o corpo, funcionam como uma forma muito boa de perceber o mundo e captar informações do ambiente. Em muitas espécies, esse tato por meio dos pelos tem papel mais importante que a própria visão, uma vez que muitas aranhas conseguem prender e atacar suas presas na completa escuridão. E por que os pelos humanos não são tão eficientes como órgãos sensoriais como os das aranhas? Primeiro, porque um ser humano tem em média 60 fios de pelo em cada cm² do corpo, enquanto algumas espécies de aranha podem chegar a ter 40 mil pelos por cm²; segundo, porque cada pelo das aranhas possui até 3 nervos para fazer a comunicação entre a sensação percebida e o cérebro, enquanto nós, seres humanos, temos apenas 1 nervo por pelo.

Disponível em: http://cienciahoje.org.br. Acesso em: 11 dez. 2018 (adaptado).

Como estratégia de progressão do texto, o autor simula uma interlocução com o público leitor ao recorrer à:

a) revelação do “sentido-aranha” adquirido pelo super-herói como um sexto sentido.

b) caracterização do afeto do público pelo super-herói marcado pela palavra “querido”.

c) comparação entre os poderes do super-herói e as habilidades biológicas das aranhas.

d) pergunta retórica na introdução das causas da eficiência do sistema sensorial das aranhas.

e) comprovação das diferenças entre a constituição física do homem e da aranha por meio de dados numéricos.

questão 12

Meninos Carvoeiros

Os meninos carvoeiros
Passam a caminho da cidade.
— Eh, carvoero!
E vão tocando os animais com um relho enorme.

Os burros são magrinhos e velhos.
Cada um leva seis sacos de carvão de lenha.
A aniagem é toda remendada.
Os carvões caem.

(Pela boca da noite vem uma velhinha que os recolhe, dobrando-se com um gemido.)

— Eh, carvoero!
Só mesmo estas crianças raquíticas
Vão bem com estes burrinhos descadeirados.
A madrugada ingênua parece feita para eles ...
Pequenina, ingênua miséria!
Adoráveis carvoeirinhos que trabalhais como se brincásseis!

—Eh, carvoero!

Quando voltam, vêm mordendo num pão encarvoado,
Encarapitados nas alimárias,
Apostando corrida,
Dançando, bamboleando nas cangalhas como espantalhos desamparados.

BANDEIRA, Manuel. Meninos Carvoeiros. Petrópolis, 1921.

No poema de Manuel Bandeira, há uma crítica:

a) ao abandono infantil, visto que muitos pais se colocam em posição distante na criação dos filhos.

b) à violência contra crianças, que são vulneráveis à exploração de adultos quando não há políticas públicas de proteção.

c) ao trabalho precoce, que degrada a infância de muitas crianças vítimas da pobreza social.

d) à desnutrição infantil, já que a condição de miséria de muitos infantes desencadeia um quadro grave de fome entre uma parcela da população.

e) à perda da infância, substituída pelo trabalho forçado em carvoarias, contrário aos índices ideais de escolarização.

questão 13

(Enem 2019)

Um amor desse
Era 24 horas lado a lado

Um radar na pele, aquele sentimento alucinado
Coração batia acelerado

Bastava um olhar pra eu entender
Que era hora de me entregar pra você

Palavras não faziam falta mais
Ah, só de lembrar do seu perfume
Que arrepio, que calafrio
Que o meu corpo sente
em que eu queira, eu te apago da minha mente

Ah, esse amor
Deixou marcas no meu corpo

Ah, esse amor
Só de pensar, eu grito, eu quase morro

AZEVEDO, N.; LEÃO, W.; QUADROS, R. Coração pede socorro.
Rio de Janeiro: Som Livre, 2018 (fragmento).

Essa letra de canção foi composta especialmente para uma campanha de combate à violência contra as mulheres, buscando conscientizá-las acerca do limite entre relacionamento amoroso e relacionamento abusivo. Para tanto, a estratégia empregada na letra é a:

a) revelação da submissão da mulher à situação de violência, que muitas vezes a leva à morte.

b) ênfase na necessidade de se ouvirem os apelos da mulher agredida, que continuamente pede socorro.

c) exploração de situação de duplo sentido, que mostra que atos de dominação e violência não configuram amor.

d) divulgação da importância de denunciar a violência doméstica, que atinge um grande número de mulheres no país.

e) naturalização de situações opressivas, que fazem parte da vida de mulheres que vivem em uma sociedade patriarcal.

questão 14

Tirinha Malfada em enunciado de questão modelo Enem

QUINO. Disponível em: <https://vonomatopeia.wordpress.com/2008/11/21/isso-non-ecziste/>. Acesso em 23 jul. 2021.

Mafalda é uma personagem criada pelo cartunista argentino Quino (1932-2020), de característica inquieta e contestadora, que procura sempre formas de questionar o mundo à sua volta. Na tira, Mafalda e o pai compreendem a expressão “ano que vem” de maneiras distintas. É possível discriminar os diferentes pontos de vista na fala dos personagens à medida que:

a) o posicionamento questionador de Mafalda destoa-se da alienação representada pela figura do adulto, porque defende um ponto apresentado como certo e indiscutível.

b) a expressão “ano que vem” refere-se abstratamente a um amplo acontecimento futuro e, por isso, Mafalda acredita ser provável a sua ocorrência. 

c) a questão da forma como as crianças entendem a passagem do tempo está relacionada com as experiências reais já vividas, o que dificulta a construção de dimensões temporais que não sejam referentes a um tempo pretérito.

d) o questionamento de Mafalda está baseado na recorrência de respostas inverídicas dadas pelos adultos como forma explícita de desviar-se de situações controversas.

e) Mafalda expressa sua dúvida em relação ao mundo adulto ao achar que não basta dizer “ano que vem”, é preciso comprovar que ele virá mesmo, enquanto seu pai apoia-se na consciência de que o tempo passa naturalmente.

questão 15

(Enem 2019) 

O craque crespo

Desde que Neymar despontou no futebol, uma de suas marcas registradas é o cabelo. Sempre com um visual novo a cada campeonato. Mas nesses anos de carreira ainda faltava o ídolo fazer uma aparição nos gramados com seu cabelo crespo natural, que ele assumiu recentemente para a alegria e a autoestima dos meninos cacheados que sonham ser craques um dia.

É difícil assumir os cachos e abandonar a ditadura do alisamento em um mundo onde o cabelo liso é tido como o padrão de beleza ideal. Quando conseguimos fazer a transição capilar, esse gesto nos aproxima da nossa real identidade e nos empodera. Falo por experiência própria. Passei 30 anos usando cabelos lisos e já nem me lembrava de como eram meus fios naturais. Recuperar a textura crespa, para além do cuidado estético, foi um ato político, de aceitação, de autorreconhecimento e de redescoberta da minha negritude.

O discurso dos fios naturais tem ganhado uma representação cada vez mais positiva, valorizando a volta dos cachos sem cair no estereótipo do “exótico”, muito comum no Brasil. O cabelo crespo, definitivamente, não é uma moda passageira. Torço que para Neymar também não seja.

Alexandra Loras é ex-consulesa da França em São Paulo, empresária, consultora de empresas e autora de livros.

LORAS, A. O craque crespo. Disponível em: http://diplomatique.org.br.

Acesso em: 1 set. 2017.

Considerando os procedimentos argumentativos presentes nesse texto, infere-se que o objetivo da autora é:

a) valorizar a atitude do jogador ao aderir à moda dos cabelos crespos.

b) problematizar percepções identitárias sobre padrões de beleza.

c) apresentar as novas tendências da moda para os cabelos.

d) relatar sua experiência de redescoberta de suas origens.

e) evidenciar a influência dos ídolos sobre as crianças.

questão 16

Infográfico do BNDES mostra objetivos com relação à universalização da água e saneamento

Disponível em: < https://agenciadenoticias.bndes.gov.br/blogdodesenvolvimento/detalhe/Saneamento-infograficos-mostram-importancia-do-tema-para-o-desenvolvimento/>. Acesso em 23 jul. 2021.

Esse infográfico revela que o BNDES se mobilizará em prol do cumprimento de um dos objetivos da Agenda 2030 da ONU: a universalização do saneamento básico. A leitura dessa representação visual de informações permite afirmar corretamente que, para essa meta ser atingida, é indispensável que:

a) o investimento em sistemas de abastecimento de água seja priorizado em relação à ampliação do esgotamento sanitário.

b) as pessoas desprovidas de água tratada e saneamento, de maneira geral, envolvam-se em projetos estruturados pelo BNDES.

c) os investimentos em saneamento básico sejam ampliados para que a meta do Plano Nacional de Saneamento Básico seja cumprida até 2030.

d) a disponibilidade e a gestão sustentável de água e esgoto sejam ampliadas progressivamente em todos os estados brasileiros. 

e) os brasileiros tomem consciência da importância do apoio de instituições bancárias para o acesso aos serviços de saneamento básico.

questão 17

Tirinha sobre ideologia e internet em enunciado de questão de Linguagens do Enem 2018

BRANCO, A. Disponível em: www.oesquema.com.br. Acessado em: 30 jun. 2015 (adaptado).

A internet proporcionou o surgimento de novos paradigmas sociais e impulsionou a modificação de outros já estabelecidos nas esferas da comunicação e da informação. A principal consequência criticada na tirinha sobre esse processo é a:

a) criação de memes.

b) ampliação da blogosfera.

c) supremacia das ideias cibernéticas.

d) comercialização de pontos de vista.

e) banalização do comércio eletrônico.

questão 18

Alvo de racismo, Webó comemora atitude de jogadores em PSG x Istanbul: "Haverá antes e depois"

Camaronês da comissão técnica da equipe turca, no entanto, reitera que não quer ser lembrado por episódio ocorrido na Liga dos Campeões: "Têm sido os dias mais difíceis da minha carreira"

Autor da acusação de racismo que interrompeu o jogo PSG e Istanbul Basaksehir pela Champions, o camaronês Webó comemorou a atitude dos jogadores das duas equipes. Ex-atacante e auxiliar do time turco, ele sofreu ofensas do quarto árbitro romeno Sebastian Coltescu e contou com a solidariedade de todos os atletas, que se recusaram a seguir a partida. Em entrevista à emissora “BBC”, ele reiterou o marco histórico do ato. “Na minha opinião, há um antes e depois de 8 de dezembro (de 2020). Vai ser lembrado. Nós mostramos que podemos fazer aquilo (abandonar a partida) e vamos fazer. Não é o árbitro que vai parar isso, são os jogadores” — Pierre Webó, à "BBC".

Disponível em: <https://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/alvo-de-racismo-webo-comemora-atitude-de-jogadores-em-psg-x-istanbul-havera-antes-e-depois.ghtml>. Acesso em 23 jul. 2021

A notícia vinculada a um portal de notícias esportivas aborda a importância da reação dos jogadores contra:

a) o discurso de superioridade baseado na nacionalidade. 

b) a atitude de hostilidade em relação a determinada categoria de pessoas.

c) o abandono de funções desportivas sem o aval dos dirigentes da partida.

d) o tratamento agressivo destinado aos adversários esportivos.

e) o abuso de autoridade dos responsáveis por se fazer cumprir as regras do esporte.

questão 19

(Enem 2017) 

Quadrinhos sobre o papel da tecnologia em enunciado de questão de Linguagens do Enem 2017

DAHMER, A. Disponível em: www.malvados.com.br.

Importantes recursos de reflexão e crítica próprios do gênero textual, esses quadrinhos possibilitam pensar sobre o papel da tecnologia nas sociedades contemporâneas, pois:

a) indicam a solidão existencial dos usuários das redes sociais virtuais.

b) criticam a superficialidade das relações humanas mantidas pela internet.

c) retratam a dificuldade de adaptação de pessoas mais velhas às relações virtuais.

d) ironizam o crescimento da conexão virtual oposto à falta de vínculos reais entre as pessoas.

e) denunciam o enfraquecimento das relações humanas nos mundos virtual e real contemporâneos.

questão 20

Um daltônico sonha com cores que não vê?

Não. Não dá para sonhar com um tipo de luz que seu cérebro nunca processou – vide o fato de que nenhum humano vê ultravioleta em seus sonhos.

Não. O daltonismo é uma condição genética hereditária. O daltônico nasce com a condição e nunca viu certas cores que a maioria das pessoas enxerga – por isso, não tem a mesma referência de mundo que os não daltônicos. Não se pode sonhar com algo que seu cérebro nunca processou.

As cores são ondas eletromagnéticas (luz) de diferentes comprimentos. Percebemos essas ondas graças a células nas retinas chamadas cones. São três tipos: um detecta os comprimentos de onda puxados para o vermelho, outro se dedica à região verde, e um terceiro é responsável pelo azul. Juntos, eles dão conta de todas as cores que conseguimos ver – o espectro visível.

Os daltônicos possuem deficiências nesses cones, que variam de acordo com diferentes tipos e graus de daltonismo. Não é como se eles vissem uma mancha preta no lugar do verde, do vermelho ou do azul. Eles continuam vendo algum tipo de cor ali, mesmo que seja um tom amarronzado.

Disponível em: <https://super.abril.com.br/blog/oraculo/um-daltonico-sonha-com-cores-que-nao-ve/>. Acesso em 23 jul. 2021.  

Nesse texto de caráter científico, a autora chama a atenção dos leitores por um questionamento curioso sobre um daltônico com a intenção de:

a) evidenciar uma descoberta científica que comprova a manifestação de cores entre indivíduos com particularidades genéticas.

b) resumir os resultados de uma pesquisa que trouxe evidências de como as cores são processadas pelos seres humanos.

c) sintetizar a ideia de que as cores são detectadas a partir de ondas eletromagnéticas que se transformam em um espectro visível.

d) destacar a experiência que confirma uma investigação sobre a forma como os daltônicos processam cores diferentes em seu cérebro.

e) condensar a conclusão de que as cores são vistas de maneiras distintas por cada um dos indivíduos.

respostas
Questão 1

Letra E.

O texto aborda o potencial da mídia como mediadora das relações sociais e, nesse contexto, insere o imigrante como um sujeito sociocultural cuja integração poderá ser facilitada com as tecnologias digitais, já que se abrem possibilidades de novas perspectivas de vivência envolvendo esse grupo de pessoas.

Voltar a questão
Questão 2

Letra C.

O texto faz referência à nova tecnologia de autenticação biométrica, já utilizada por plataformas de redes sociais, como o Facebook, por meio do reconhecimento facial, a qual será capaz de confirmar a identidade de usuários mediante o registro de traços faciais que são únicos entre os indivíduos.

Voltar a questão
Questão 3

Letra C

O hino é uma composição musical que visa à exaltação de determinado símbolo, especificamente, no texto, da Bandeira Nacional. Esse processo se dá, notadamente, pela valorização do objeto que representa a nação, percebida, por exemplo, nos versos “Contemplando o teu vulto sagrado, / Compreendemos o nosso dever” e “Paira sempre sagrada bandeira”.

Voltar a questão
Questão 4

Letra D.

O deslize cometido pela personagem é percebido no fato de não se distinguir um pássaro real do símbolo de uma conhecida rede social, o Twitter. Isso pode ser constatado por meio de uma associação da mensagem ao título “juventude digital”, que denuncia o envolvimento excessivo de crianças e jovens com o meio digital, o que os aliena em relação à vivência de mundo. É, portanto, um desvio quanto à informatividade (considerando o desconhecimento acerca do objeto mencionado) cometido pelo personagem que desencadeia o humor da charge.

Voltar a questão
Questão 5

Letra A.

O propósito do concurso promovido pela ABL é desenvolver um novo desfecho ao conto de Machado de Assis com um número de caracteres limitado e, considerando o fato de o Twitter ser uma rede social em que as postagens têm, como característica, essa limitação, esse veículo de comunicação foi utilizado pelo concurso literário.

Voltar a questão
Questão 6

Letra B.

A fim de definir o que é música, são apresentados recursos ilustrativos que permitem que o leitor distinga sons cotidianos, como o ruído de um rádio e o alarme de um carro, daqueles que se constituem uma prática cultural e humana manifestada por um ritmo organizado. 

Voltar a questão
Questão 7

Letra B.

O texto dá indícios de que a personalidade forte do filho é uma herança paterna, como no trecho “De tão parecidos, pai e filho nunca combinaram direito.” Confirmando essa ideia, emprega-se o ditado popular como uma forma figurativa de justificar por que o gênio de Chiquinho manifestava-se de maneira espinhosa: fora herdado do pai.

Voltar a questão
Questão 8

Letra E.

Os verbos conjugados no passado evidenciam uma narrativa em torno da memória de algo já distante do tempo presente. Dessa forma, narram-se os fatos a partir da lembrança pessoal trazida pelo personagem acerca de uma relação sentimental vivida em um tempo antigo, o “tempo do onça”. 

Voltar a questão
Questão 9

Letra D.

Na tentativa de agradar ao pai, Calvin lhe atribui certos elogios que são validados sob o ponto de vista de terceiros (“os entrevistados acham que você está fazendo um bom trabalho como pai”), a fim de ganhar o seu apoio e livrar-se da tarefa doméstica em auxílio à mãe.

Voltar a questão
Questão 10

Letra A.

A preocupação de José Eduardo de Santana Macêdo pode ser percebida, ao longo do texto, no fragmento em que ressalta que a sociedade moderna usufrui do acesso ilimitado à informação, mas não tem sabido lidar com esse privilégio. Essa seria a causa fundamental ao fato de que as “fake news”, cada vez mais, fazem parte do cotidiano do brasileiro.

Voltar a questão
Questão 11

Letra D.

A pergunta retórica estabelecida ao longo da argumentação (“E por que os pelos humanos não são tão eficientes como órgãos sensoriais como os das aranhas?”) revela a intenção de introduzir respostas pertinentes acerca do assunto por meio de um diálogo estabelecido com os interlocutores. Essa seria uma estratégia de progressão das ideias, visto que mantém uma relação interlocutiva e permite o desenvolvimento das explicações acerca do sistema sensorial daqueles animais.

Voltar a questão
Questão 12

Letra C.

O texto apresenta uma crítica à dura situação vivenciada por crianças em condição de pobreza, especificamente quando submetidas ao trabalho infantil. Isso pode ser constatado pelo verso “Adoráveis carvoeirinhos que trabalhais como se brincásseis!”, que denuncia o labor em carvoarias daqueles que deveriam viver as etapas ideais à infância.

Voltar a questão
Questão 13

Letra C.

A canção explora o duplo sentido de palavras, que, inicialmente associadas ao amor, ganham nova significação em um contexto de dominação e de hostilidade contra a mulher. Isso pode ser percebido, por exemplo, nos versos “Ah, esse amor / Deixou marcas no meu corpo / Ah, esse amor / Só de pensar, eu grito, eu quase morro”, cujo aspecto lexical rompe com o sentimentalismo ao denotar, na verdade, sinais de violência física e receio de convivência

Voltar a questão
Questão 14

Letra E.

De um lado, a menina questiona a existência de um tempo futuro pela ausência de provas concretas de sua ocorrência, enquanto, por outro, o pai hesita em uma resposta sobre o que lhe parece óbvio: a passagem do tempo. Essa distinção de pensamentos entre Mafalda e seu pai, que pode ser compreendida na superfície textual, é evidenciada pelos aspectos verbais (pergunta e resposta dos personagens) e não verbais (expressão de dúvida e de refutação) da tira.

Voltar a questão
Questão 15

Letra B.

A intenção da autora, ao apontar a representatividade proporcionada por um ídolo do futebol, é, na verdade, questionar os padrões de beleza estabelecidos na sociedade em relação ao cabelo crespo, o que pode ser evidenciado no seguinte trecho: “É difícil assumir os cachos e abandonar a ditadura do alisamento em um mundo onde o cabelo liso é tido como o padrão de beleza ideal.”.

Voltar a questão
Questão 16

Letra D.

O infográfico, de modo simplificado, deixa clara a importância do investimento em água e tratamento de esgoto para o cumprimento das metas estipuladas pela ONU. O mapa apresentado no canto superior direito evidencia a necessidade de alcance de todos os estados brasileiros, em conformidade com o que se prevê no Plano Nacional de Saneamento Básico (que ressalta o ano de 2033 como meta de universalização).

Voltar a questão
Questão 17

Letra D.

A tirinha apresenta uma crítica à exposição de opiniões no ambiente da internet mediante “memes” e textos publicados, por exemplo, associando uma quantia monetária à divulgação dessas ideias no âmbito cibernético. Essa valoração pode ser confirmada na fala: “viu o preço da opinião na internet?”.

Voltar a questão
Questão 18

Letra B.

A notícia narra um evento de manifestação dos jogadores do PSG contra um episódio de racismo durante a partida e retrata, sob a perspectiva do autor da acusação, a relevância do ato de repúdio no combate à discriminação contra um grupo de pessoas no âmbito do esporte.

Voltar a questão
Questão 19

Letra D.

A intenção crítica dos quadrinhos é materializada na forma irônica com que a personagem se coloca diante do ambiente virtual, isto é, há o retrato de um indivíduo que se informa por meios digitais e, confirmando o questionamento de sua suposta esposa acerca de seu afastamento, ratifica a crescente conexão on-line que se contrapõe à manutenção de vínculos reais.

Voltar a questão
Questão 20

Letra C.

O texto explora a condição genética de daltonismo para introduzir aos leitores uma informação teórica acerca do processamento das cores entre os seres humanos. O segundo parágrafo que o compõe deixa clara a intenção de síntese sobre o assunto central proposto pela revista científica, o que é confirmado na objetividade do discurso em “As cores são ondas eletromagnéticas (luz) de diferentes comprimentos.”

Voltar a questão